domingo, 30 de outubro de 2011

Halloween e a Reforma Protestante





fonte: http://metodista.org.br/conteudo.xhtml?c=11214

Dia 31 de outubro em diversas partes do mundo haverá duas celebrações bem diferentes entre si: Halloween e Reforma Protestante. Gostaria de aproveitar para fazer uma breve reflexão sobre estas duas elebrações, por duas razões que julgo muito importante.
A 1ª razão é o esquecimento ou completo desconhecimento por parte de muitos cristãos do que significou a Reforma Protestante e a 2ª razão é o aumento cada vez mais notório das celebrações vinculadas ao Halloween em nosso país.
HALLOWEEN: A celebração mais antiga do Halloween teve lugar entre os Celtas, que viveram a mais de dois mil anos na região onde hoje se encontram a Inglaterra, Irlanda, Escócia e noroeste da França. Os sacerdotes Celtas, chamados druidas, costumavam honrar Samhain, deus dos mortos, ao entardecer do dia 31 de outubro e no dia 1º de novembro. De acordo com a lenda Celta, Samhain controlava os espíritos dos mortos e tinha poder tanto para permitir que eles descansassem em paz como para fazê-los aterrorizar os vivos durante aquela noite.
No século XIX, imigrantes irlandeses levaram esta tradição para a América do Norte, onde ela gradualmente se tornou uma celebração nacional. Dentre alguns símbolos usados nesta tradição destaco o da abóbora recortada em forma de "careta", lenda que conta a história de um homem (Jack) a quem foi negada a entrada no céu, por sua maldade, e no inferno, por pregar peças no diabo. Condenado a perambular pela terra como espírito até o dia do juízo final, Jack colocou uma brasa brilhante num grande nabo oco, para iluminar-lhe o caminho através da noite. Este talismã (nabo que virou abóbora) simbolizava uma alma condenada.
Outros símbolos utilizados eram do gato preto (pessoas transformadas por magias), lua cheia (época de praticar rituais de ocultismo), morcego (por sua habilidade de perseguir sua presa no escuro, adquiriu a reputação de possuir forças ocultas), etc. Estes são alguns símbolos desta antiga lenda Celta que são utilizados até hoje nos festejos do Halloween.

REFORMA PROTESTANTE: Movimento religioso iniciado por um monge agostiniano chamado Martinho Lutero. Sua vida religiosa poderia ter sido igual à de tantos outros, não tivesse sido profundamente marcada pela leitura da Bíblia. O resultado disso é que em 1511, em visita à Roma, começou a achar que nada do que a Igreja e a tradição religiosa ofereciam como caminho para Deus era eficaz. As relíquias veneradas, os lugares sagrados ou as indulgências para diminuir a pena do purgatório pareceram-lhe tentativas fracassadas de alcançar paz interior e comunhão com Deus. Seus estudos da Bíblia tornaram-se uma obsessão em busca de respostas.
Foi então que encontrou a passagem de Romanos que incendiou sua alma: "O justo viverá pela fé". A distância entre a realidade da Igreja e os princípios bíblicos que descobrira revoltou-o a tal ponto que resolveu protestar publicamente contra os rumos que Roma vinha imprimindo à fé cristã. Em 31 de outubro de 1517, fixou 95 teses contra as indulgências na porta da igreja onde pastoreava (Witenberg). Suas teses foram rapidamente divulgadas por toda a Alemanha. Nelas, ele afirmava a nulidade das indulgências para perdoar pecados e livrar almas da condenação, contestava o poder da Igreja como mediadora entre os fiéis e Deus e assegurava que todo fiel arrependido era remido de seus pecados através da fé em Cristo. Este foi o início da Reforma Protestante.
O legado deixado por Lutero, de retorno às Escrituras, move as igrejas de tradição protestante até hoje. Portanto, diante do exposto, convido-os a refletir: Qual a celebração que deve ser lembrada por um cristão de tradição protestante? Ou, de forma mais específica, qual delas deve ser lembrada, por nós metodistas, por se aproximar de nossa teologia? A que trás elementos da cultura e lendas celtas ou a que lembra a ação de Deus na história levantando um homem para reformar a igreja?
Pense nisso, e ajude a esclarecer a importância da Reforma para o cristianismo.
Rev. Paulo Dias Nogueira






Superabundante Graça
Asaph Borba



Somosfilhos da graça
Divina sem par,
Frutos do amor
Que nos veio alcançar,
Graça que livra
Da morte e pecado
Pôr ela nós somos reconciliados
Pôr ela nós somos reconciliados !
Graça, gra - ça, superabundante graça.
Superabundante graça
Somos filhos da graça,
De cristo jesus,
Tirados das trevas
Pró reino da luz,
Assim somos santos, justificados,
E um dia seremos glorificados
E um dia seremos glorificados

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

BOM FINAL DE SEMANA!


Que neste final de semana, enquanto você aquece o teu coração com estas musicas, você consiga responde responder positivamente ao convite de DEUS que diz:
"A quem enviarei, e quem há de ir por nós?" Isaías 6:8
























PAZ DE CRISTO SOBRE A TUA VIDA!!!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

EU SOU UM MILAGRE!

Senhor, tu assumiste a minha causa; e redimiste a minha vida. (Lm 3:58)



Fui visitado pela morte algumas vezes, mas nunca pela dor. Não me envergonho de dizer que jamais senti dor tão intensa que me fizesse acreditar no fim próximo.
Com dois meses de idade a morte bateu a porta de minha casa pela primeira vez, hoje eram tantos os colos que me ampararam que só tenho uma certeza, DEUS me escolheu para viver uma história traçada por ELE.
Ainda criança, numa festa junina, que poderia ser de qualquer outro mês frio, já que nos juntávamos à beira de fogueiras com facilidade na infância e adolescência, tive uma intoxicação por comer a casaca de um alimento mal assado na brasa. Coisa de criança.
No fim da adolescência outra intoxicação, desta vez foi uma casa de marimbondo (que estavam quietos na mangueira) que caiu sobre a minha cabeça me fazendo parar no pronto socorro, não pelo peso da casa, mas porque eles ficaram aborrecidos comigo e injetaram sua toxina em meu corpo diversas vezes.
Já adulto ela, a morte, continuou me visitando ora num acidente automobilístico, ora num outro de trabalho, flerta comigo, mas sei que DEUS tem tomado conta de mim.
Há sim, por que desta história?
Porque em cada uma destas situações eu vi DEUS e vi resposta d’ELE às orações que se faziam a meu favor.
Sempre fui cercado de intercessores pela minha vida!
Primeiro minha mãe, depois os familiares, depois o pessoal da igreja (FAMÍLIA DADA POR DEUS), depois a esposa, amigos e tantos que nem sei contar (desculpem).
A oração tem movido a mão de DEUS a meu favor todo esse tempo.
Talvez eu não seja tudo que eu gostaria de ser, talvez eu não seja o que DEUS planejou para a minha vida, mas a oração me tem sustentado.
E, neste post, eu queria te convidar a orar. Orar por pessoas que eu conheço, que você conhece, que estejam passando por momentos de dificuldade, dor, aprisionamento espiritual. Pessoas que levantam pela manhã sem objetivo. Pessoas que não tem esperança.
Mas não queria uma oração triste, pois se DEUS responde a oração como eu disse e creio, e se a fé é uma certeza de coisas que não vemos mas cremos que já são, façamos uma oração de agradecimento a DEUS. Sejamos gratos pela resposta d’ELE, ainda que não seja como queríamos, pois TODAS AS COISAS CONCOREM PARA O BEM DOS QUE O AMAM E VIVEM SEGUNDO OS SEUS DESÍGNIOS.



Assim, então, eu AGRADEÇO A DEUS pela vida da LUTERMAR RAMOS, da ANNA GABRIELLA, do JOÃO GABRIEL, da ALCIREMA ESTULANO, da GLAUCIA SILVA, do OSIAS RAMOS, do AUGUSTO SILVA, da ANA FRANÇA, ROBERTA VILAS BOAS, do GUSTAVO, da RAQUEL SILVA, da, ANA BEATRIZ, do CARLOS EDUARDO LEOPOLDINO, do IVALDO SOUZA, da THALITA SANTOS, da VITÓRIA RAMOS, do LUCIANO BISPO, do PAULO CESAR ABREU, do PAULO DE TARSO LOCKMANN, da DANIELE SANTOS, do ANTONI SOUZA, da JAIANE SILVA, da RADIJA OLIVEIRA, da INGRID SILVA, da KAROLAINE BEZERRA, da KAREN SILVA, da MARCELE SILVA, do WILLIAN BEZERRA, do ANDRE SILVA, da KAUANE BEZERRA, do MARCIO, da JOSELIS, da LYDIA DOLIRA, da LEIDA CARDOSO, da JOSEFA APOLINÁRIO, da ÁGATHA VIEIRA, da MYKELY COSTA, do ARTHUR DE ARAUJO, do LUCAS FREITAS, da ALCINÉIA ESTULANO, da MYKCHAELY COSTA, da RENATA KNNUP, da GEYZA, do GABRIEL CARDOSO, do IURY VIEIRA, da ALCINEIDE ESTULANO, da MARGOT OLIVEIRA, do JESSÉ CONSTINO, da ANA CLARA SILVA, do HENRIQUE FERNANDES, do LUTERO ALVES, da SABRINA FREITAS, da HISANI FONSECA, da GRAZIELLE, da EDNA CUSTÓDIO, do ALCINO BENTO DA SILVA, da HELOIZA RAMOS, da ALEXANDRA MORAIS, do MATHEUS MONTEIRO, DA SHIRLEIDE RAMOS, da WANDERLENE SILVA, da SHIRLEIZA RAMOS, do HOSIELCIO RAMOS, da ALDA OLIVEIRA, da MARLENE MOTA, da ALCIDÉIA ESTULANO, da SONIA SALIM. da SONIA SCOZ, do LUIS CARDOSO, da MARY ALONSO, da FETINA CARVALHO, do ALGEMIRO BRITO, da ESMENIA MENDES, da RAFAELA SANTOS, do LUTER ALVES, da MARIA LUCILIA SILVA, da MYKCHAELA COSTA, da MAYARA SOUZA, do MILTON CARDOSO, da SUELY CARDOSO, da MARGARIDA MANSO, da AMANDA SILVA, do DIVINO SILVA, do JOSIMAR CONCEIÇÃO, da MAURINA SANTOS, do MARCOS ADRIANO BARCELOS, da ANDRESSA BARCELOS, do ANTONIO FERNANDES, da JUREMA NASCIMENTO, do ANTONIO NASCIMENTO, do JOSÉ PATRONEL, do GIBSON MENDES, da JULIANA CAVALCANTE, da ANDREZA SILVA, do JOSÉ FIDELIS, da MARIA DA GRAÇA, da FRANCINETE SANTOS, da NITINHA SANTOS, da NICOLE VILAS BOAS, da DANIELA LIMA, da THAYSA SILVA, da LARISSA TIFANI, do CLEITON FRANCO, do MARIO MONTEIRO, da MARIANA GUEDES, da GLAUCIA ESTULANO, da MARIA JOSÉ, da CÉLIA FERNANDES, da ANA BEATRIZ, da vida de quem está lendo agora.

[Salmo de Davi] Exaltar-te-ei, ó SENHOR, porque tu me exaltaste; e não fizeste com que meus inimigos se alegrassem sobre mim.
SENHOR meu Deus, clamei a ti, e tu me saraste.
SENHOR, fizeste subir a minha alma da sepultura; conservaste-me a vida para que não descesse ao abismo.
Cantai ao SENHOR, vós que sois seus santos, e celebrai a memória da sua santidade. Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida.
O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. Eu dizia na minha prosperidade: Não vacilarei jamais.
Tu, SENHOR, pelo teu favor fizeste forte a minha montanha; tu encobriste o teu rosto, e fiquei perturbado.
A ti, SENHOR, clamei, e ao Senhor supliquei.
Que proveito há no meu sangue, quando desço à cova? Porventura te louvará o pó? Anunciará ele a tua verdade?
Ouve, SENHOR, e tem piedade de mim, SENHOR; sê o meu auxílio.
Tornaste o meu pranto em folguedo; desataste o meu pano de saco, e me cingiste de alegria,
Para que a minha glória a ti cante louvores, e não se cale.
SENHOR, meu Deus, eu te louvarei para sempre. (Salmos 30:1-12)



sexta-feira, 21 de outubro de 2011

EDUCAÇÃO E AMOR CRISTÃO


Tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles. Esta é a lei e os profetas. Mateus 7:12




É um tempo difícil este que estamos vivendo. Embora haja tantas facilidades eletroeletrônicas a nossa disposição, o mercado cada dia mais é facilitador de produtos e serviços, as comunicações estejam cada dia mais avançadas. Ainda assim, queremos dia pós dia mais espaço, mais liberdade, mais direito, mais e mais de tudo.
Mais por quê? Ou melhor, mais para que?
A Constituição Federal de 1988 no Capitulo V, fala da Comunicação Social, dos direitos da livre expressão, e coisas afins mas, deixa de antemão, bem claro que, o direito de um não se sobrepõe ao direito alheio.
Por que um Bloguinho destes, que deveria estar tratando de musica fala na Constituição, nos Direitos Sociais, em politica?
É cada dia mais gritante nos grandes centros a ausência de EDUCAÇÃO.
Lamentavelmente essa falta está entrando em nossas igrejas.
Falta a “educação da precedência”: aquela que aprendemos em casa de que ao mais velho se respeita e não o devemos questionar publicamente, exceto se você tem o dever de fazê-lo, mas sempre de forma educada e polida;
Falta a “educação social”: é a que dirige nossos desejos sem invadir o direito alheio;
Falta a “educação cristã”: é a que dirige o povo mais feliz da terra, que nos faz felizes em servir a DEUS e ao nosso próximo, preocupando-nos em proporcionar-lhes a precedência em amor.
Falta-nos ser cristãos!
Convido você, meu irmão e minha irmã em CRISTO a, ainda que seu vizinho ponha todas as suas barulhentas caixas de sem na varanda em volume máximo, não dê o troco fazendo igual;
Se você viaja em condução publica, por mais abençoada que seja a musica que estiver ouvindo, USE FONES DE OUVIDO;
Se ainda na condução adentra uma pessoa mais velha, ou uma senhora (se você é homem), ou um doente, ceda-lhe o lugar;
Se uma pessoa mais velha está carregando algo pesado e você vai no mesmo sentido, ofereça-se para levar por ela.
Não pretendo esgotar o assunto, não acredito que posso, mas posso alertar você a seguirmos juntos nesta empreitada!
NÃO ESQUEÇA: AO COMPARTILHAR SUA MUSICA FAVORITA EM LOCAL PUBLICO “USE FONES DE OUVIDO!”


sexta-feira, 14 de outubro de 2011

QUE SAUDADE DA PROFESSORINHA

Aquele que é chamado ao ministério, dedique-se ao ministério. Se tem o dom de ensinar, que ensine. Romanos 12:7

No Brasil, o Dia do Professor é comemorado em 15 de outubro.
No dia 15 de outubro de 1827[i] (dia dedicado à educadora Santa Teresa de Ávila), Pedro I, Imperador do Brasil baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. Pelo decreto, "todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras". Esse decreto falava de bastante coisa: descentralização do ensino, o salário dos professores, as matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e até como os professores deveriam ser contratados. A ideia, inovadora e revolucionária, teria sido ótima - caso tivesse sido cumprida.
Mas foi somente em 1947, 120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia efetivamente dedicado ao professor.
Começou em São Paulo, em uma pequena escola no número 1520 da Rua Augusta, onde existia o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como "Caetaninho". O longo período letivo do segundo semestre ia de 1 de junho a 15 de dezembro, com apenas dez dias de férias em todo este período. Quatro professores tiveram a ideia de organizar um dia de parada para se evitar a estafa e também de congraçamento e análise de rumos para o restante do ano.
O professor Salomão Becker sugeriu que o encontro se desse no dia de 15 de outubro, data em que, na sua cidade natal, Piracicaba, professores e alunos traziam doces de casa para uma pequena confraternização. A sugestão foi aceita e a comemoração teve presença maciça - inclusive dos pais. O discurso do professor Becker, além de ratificar a idéia de se manter na data um encontro anual, ficou famoso pela frase "Professor é profissão. Educador é missão". Com a participação dos professores Alfredo Gomes, Antônio Pereira e Claudino Busko, a idéia estava lançada.
A celebração, que se mostrou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo país nos anos seguintes, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682[ii], de 14 de outubro de 1963. O Decreto definia a essência e razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias".
O mestre e doutor Salomão Becker (1922-2006), responsável pela inclusão do Dia dos Professores no calendário escolar, em 1947. Nascido em Piracicaba, Becker foi um apaixonado pelo magistério e lecionou durante 49 anos em diversas escolas estaduais na capital, do Ensino Fundamental ao Ensino Médio.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_professor


















[i] Lei de 15 de outubro de 1827
Manda criar escolas de primeiras letras em todas as cidades, vilas e lugares mais populosos do Império.
D. Pedro I, por Graça de Deus e unânime aclamação dos povos, Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil: Fazemos saber a todos os nossos súditos que a Assembléia Geral decretou e nós queremos a lei seguinte:
Art. 1o Em todas as cidades, vilas e lugares mais populosos, haverão as escolas de primeiras letras que forem necessárias.
Art. 2o Os Presidentes das províncias, em Conselho e com audiência das respectivas Câmaras, enquanto não estiverem em exercício os Conselhos Gerais, marcarão o número e localidades das escolas, podendo extinguir as que existem em lugares pouco populosos e remover os Professores delas para as que se criarem, onde mais aproveitem, dando conta a Assembléia Geral para final resolução.
Art. 3o Os presidentes, em Conselho, taxarão interinamente os ordenados dos Professores, regulando-os de 200$000 a 500$000 anuais, com atenção às circunstâncias da população e carestia dos lugares, e o farão presente a Assembléia Geral para a aprovação.
Art. 4o As escolas serão do ensino mútuo nas capitais das províncias; e serão também nas cidades, vilas e lugares populosos delas, em que for possível estabelecerem-se.
Art. 5o Para as escolas do ensino mútuo se aplicarão os edifícios, que couberem com a suficiência nos lugares delas, arranjando-se com os utensílios necessários à custa da Fazenda Pública e os Professores que não tiverem a necessária instrução deste ensino, irão instruir-se em curto prazo e à custa dos seus ordenados nas escolas das capitais.
Art. 6o Os professores ensinarão a ler, escrever, as quatro operações de aritmética, prática de quebrados, decimais e proporções, as noções mais gerais de geometria prática, a gramática de língua nacional, e os princípios de moral cristã e da doutrina da religião católica e apostólica romana, proporcionados à compreensão dos meninos; preferindo para as leituras a Constituição do Império e a História do Brasil.
Art. 7o Os que pretenderem ser providos nas cadeiras serão examinados publicamente perante os Presidentes, em Conselho; e estes proverão o que for julgado mais digno e darão parte ao Governo para sua legal nomeação.
Art. 8o Só serão admitidos à oposição e examinados os cidadãos brasileiros que estiverem no gozo de seus direitos civis e políticos, sem nota na regularidade de sua conduta.
Art. 9o Os Professores atuais não serão providos nas cadeiras que novamente se criarem, sem exame de aprovação, na forma do Art. 7o.
Art. 10. Os Presidentes, em Conselho, ficam autorizados a conceder uma gratificação anual que não exceda à terça parte do ordenado, àqueles Professores, que por mais de doze anos de exercício não interrompido se tiverem distinguido por sua prudência, desvelos, grande número e aproveitamento de discípulos.
Art. 11. Haverão escolas de meninas nas cidades e vilas mais populosas, em que os Presidentes em Conselho, julgarem necessário este estabelecimento.
Art. 12. As Mestras, além do declarado no Art. 6o, com exclusão das noções de geometria e limitado a instrução de aritmética só as suas quatro operações, ensinarão também as prendas que servem à economia doméstica; e serão nomeadas pelos Presidentes em Conselho, aquelas mulheres, que sendo brasileiras e de reconhecida honestidade, se mostrarem com mais conhecimento nos exames feitos na forma do Art. 7o.
Art. 13. As Mestras vencerão os mesmos ordenados e gratificações concedidas aos Mestres.
Art. 14. Os provimentos dos Professores e Mestres serão vitalícios; mas os Presidentes em Conselho, a quem pertence a fiscalização das escolas, os poderão suspender e só por sentenças serão demitidos, provendo interinamente quem substitua.
Art. 15. Estas escolas serão regidas pelos estatutos atuais se não se opuserem a presente lei; os castigos serão os praticados pelo método Lancaster.
Art. 16. Na província, onde estiver a Corte, pertence ao Ministro do Império, o que nas outras se incumbe aos Presidentes.
Art. 17. Ficam revogadas todas as leis, alvarás, regimentos, decretos e mais resoluções em contrário.
Mandamos portanto a todas as autoridades, a quem o conhecimento e execução da referida lei pertencer, que a cumpram e façam cumprir, e guardar tão inteiramente como nela se contém. O Secretário de Estado dos Negócios do Império a faça imprimir, publicar e correr. Dada no Palácio do Rio de Janeiro, aos 15 dias do mês de outubro de 1827, 6o da Independência e do Império.
IMPERADOR com rubrica e guarda Visconde de São Leopoldo.
Carta de Lei, pela qual Vossa Majestade Imperial manda executar o decreto da Assembléia Geral Legislativa, que houve por bem sancionar, sobre a criação de escolas de primeiras letras em todas as cidades, vilas e lugares mais populosos do Império, na forma acima declarada.
Para Vossa Majestade Imperial ver.
Disponível em:
http://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/482/A-lei-de-15-de-outubro-de-1827
[ii] DECRETO nº 52.682, de 14 de outubro de 1963.
Declara feriado escolar o dia do professor.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL, usando das atribuições que lhe confere o item I do artigo 87 da Constituição Federal,
Decreta:
Art. 1º O dia 15 de outubro, dedicado ao Professor fica declarado feriado escolar.
Art. 2º O Ministro da Educação e Cultura, através de seus órgãos competentes, promoverá anualmente concursos alusivos à data e à pessoa do professor.
Art. 3º Para comemorar condignamente o dia do professor, aos estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias.
Art. 4º Êste Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.
Brasília, 14 de outubro de 1963; 142º da Independência do Brasil; 75º da República.
João Goulart
Paulo de Tarso