quinta-feira, 3 de junho de 2010

O QUE É CORPUS CHRISTI??

Não vos parece estranho que num pais láico hajam tantos feriados religiosos?
Mas, o que é e de onde veio este de hoje?
Confesso que tive que recorrer a internet para saber. Mas, ai está!
O Hino que acrescentei à história é o 68 do Hinário Evangélico, sua música lembra Canto Gregoriano e a letra faz um contra ponto muito interessante a este feriado.
Deliciem se!


Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo) é uma festa que celebra a presença real e substancial de Cristo na Eucaristia.

É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma festa de 'preceito', isto é, para os católicos é de comparecimento obrigatório participar da Missa neste dia, na forma estabelecida pela Conferência Episcopal do país respectivo.

A procissão pelas vias públicas, quando é feita, atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico (cân. 944) que determina ao Bispo diocesano que a providencie, onde for possível, "para testemunhar publicamente a veneração para com a santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo." É recomendado que nestas datas, a não ser por causa grave e urgente, não se ausente da diocese o Bispo (cân. 395).

A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII. A Igreja Católica sentiu necessidade de realçar a presença real do "Cristo todo" no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.

O Papa Urbano IV foi o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège na Bélgica, que recebeu o segredo das visões da freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon, que exigiam uma festa da Eucaristia no Ano Litúrgico. Conta a história que um sacerdote chamado Pedro de Praga, de costumes irrepreensíveis, vivia angustiado por dúvidas sobre a presença de Cristo na Eucaristia. Decidiu então ir em peregrinação ao túmulo dos apóstolos Pedro e Paulo em Roma, para pedir o Dom da fé. Ao passar por Bolsena (Itália), enquanto celebrava a Santa Missa, foi novamente acometido da dúvida. Na hora da Consagração veio-lhe a resposta em forma de milagre: a Hóstia branca transformou-se em carne viva, respingando sangue, manchando o corporal, os sangüíneos e as toalhas do altar sem no entanto manchar as mãos do sacerdote, pois, a parte da Hóstia que estava entre seus dedos, conservou as características de pão ázimo. Por solicitação do Papa Urbano IV, que na época governava a igreja, os objetos milagrosos foram para Orviedo em grande procissão, sendo recebidos solenemente por sua santidade e levados para a Catedral de Santa Prisca. Esta foi a primeira procissão do Corporal Eucarístico. A 11 de agosto de 1264, o Papa lançou de Orviedo para o mundo católico através da bula Transiturus do Mundo o preceito de uma festa com extraordinária solenidade em honra do Corpo do Senhor.

A festa de Corpus Christi foi decretada em 1264. O decreto de Urbano IV teve pouca repercussão, porque o Papa morreu em seguida. Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada desde antes de 1270. A procissão surgiu em Colônia e difundiu-se primeiro na Alemanha, depois na França e na Itália. Em Roma é encontrada desde 1350.

A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: ‘Este é o meu corpo...isto é o meu sangue... fazei isto em memória de mim’. Porque a Eucaristia foi celebrada pela 1ª vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Corpus Christi é celebrado 60 dias ápos a páscoa

Em muitas cidades portuguesas e brasileiras é costume ornamentar as ruas por onde passa a procissão com tapetes de colorido vivo e desenhos de inspiração religiosa. Esta festividade de longa data se constitui uma tradição no Brasil, principalmente nas cidades históricas, que se revestem de práticas antigas e tradicionais e que são embelezadas com decorações de acordo com costumes locais.

Em Pirenópolis, Goiás, é uma tradição os tapetes de serragem colorida e flores do cerrado, cobrindo as ruas por onde passa-se a procissão de Corpus Christi, também efeita-se 5 altares para a adoração do Santíssimo Sacramento, e execussão do cântico latino Tamtum Ergo Sacramentum, esta procissão é acompanhada pela Irmandade do Santíssimo Sacramento e pela Orquestra e Coral Nossa Senhora do Rosário. É neste dia que o Imperador do Divino recebe a coroa, para a realização da Festa do Divino de Pirenópolis, do ano seguinte.

Em Castelo, no estado do Espírito Santo, as ruas são decoradas com enormes tapetes coloridos formados por flores, serragem colorida e grãos. Em São Paulo, o município de Matão é famoso por seus tapetes coloridos feitos de vidro moído, serragem e flores que formam uma cruz no centro da cidade. A cidade de Mariana - MG comemora a festa de Corpus Christi enfeitando as ruas com tapetes de serragem e pinturas. Jaguáriúna - SP, Santo André -SP, Santana de Parnaíba - SP, São Joaquim da Barra - SP e Jacobina - BA também seguem o mesmo estilo, as ruas ao redor da matriz são enfeitadas com serragem, raspa de couro, areias coloridas, tudo o que a criatividade proporciona para este dia santo. Em Caieiras - SP a Juventude da Cidade promove com sua criatividade tapetes que se estendem no trajeto da procissão deste solene dia, desde a Igreja Matriz de Santo Antonio até a igreja de São Francisco de Assis, este trabalho dura doze horas e é coroado com a procissão luminosa em torno ao Santíssimo Sacramento.

Em Porto Ferreira - SP, a festa tem como finalidade a partilha, em comunhão com as três paróquias da cidade, é arrecado alimentos que vão servir para os enfeites nas ruas por onde o Santíssimo Sacramento irá passar, e após a solenidade serão doados a famílias que são assistidas por pastorais, como a Pastoral da Criança e Pastoral da Saúde, que realmente necessitem. Esta iniciativa perdura desde 2008.

O Papa Urbano IV, nascido como Jacques Pantaléon (Troyes, c. 1195 - Perúgia, 15 de agostode 1264) foi Papa de 29 de agosto de 1261 ate a data da sua morte.

Era filho de um sapateiro de Troyes, em França. Estudou teologia e direito civil em Paris, antes de se tornar bispo de Verdun. Foi encarregado de várias missões pelo Papa Inocêncio IV, e foi nomeado Patriarca Latino de Jerusalém pelo Papa Alexandre IV.

Encontrava-se em Viterbo, onde procurava ajudar os Cristãos perseguidos no oriente, quando Alexandre morreu. Depois de sede vacante por três meses, Pantaléon foi escolhido para o suceder, a 29 de Agosto de 1261, adoptando o nome de Urbano.

Como Papa, empenhou-se, sem sucesso, levantar uma nova cruzada, em nome da sua antiga diocese de Jerusalém. Nos assuntos domésticos da Santa Sé, os problemas principais do seu pontificado estiveram relacionados com as reclamações à coroa das Duas Sicílias. Antes da chegada de Carlos de Anjou, o candidato por ele favorecido, Urbano morreria em Perúgia, a 15 de Agosto de 1264. O seu sucessor foi o Papa Clemente IV. A festividade do Corpus Christi ("Corpo de Deus") foi instituído também por este papa, no ano da sua morte.

Dom Zeno Hastenteufel, Bispo da Diocese de Novo Hamburgo, apresenta nos assim este feriado:

Solenidade acontece 60 dias após a Páscoa. Este ano será em 3 de junho.

No final do século XII e início do século XIII, um grupo crescente de teólogos, religiosos e leigos

começou a negar a presença real de Cristo na Eucaristia.

Eram conhecidos com os cátaros e albigenses.

Quem começou a pregação contra os cátaros e os albigenses foi um jovem frade português, que morava em Pádova, e era conhecido como Frei Antonio.

No primeiro Concílio de Lion, em 1244, muito se falou sobre o Sacramento da Eucaristia, que precisava ser festejado e adorado pelos católicos.

Em 1264, o Papa Urbano IV instituiu a Festa de Corpus Christi, para ser celebrada 60 dias depois da Páscoa. Seria uma comemoração festiva em homenagem ao Cristo que, na Quinta-feira Santa, no contexto da Última Ceia, instituiu a

Eucaristia.

Nos tempos do Papa Clemente V, em torno de 1310, na França, começou o hábito de realizar festivas procissões em homenagem ao Cristo Eucarístico. Era uma demonstração pública dos que crêem na presença do Cristo vivo e ressuscitado.

Na Idade Média, depois da Reforma Protestante, a procissão de Corpus Christi passou a ser uma característica dos católicos. Os credos surgidos na Reforma Protestante não crêem na presença Eucarística de Jesus, fora da celebração da Santa Ceia. Tanto é que eles não têm sacrário, não fazem genuflexão e não se ajoelham.

Os católicos têm a convicção de que o Cristo vivo e ressuscitado está presente na Eucaristia, também fora da celebração, e, por isso, pode-se carregá-lo pelas ruas da cidade.

Resulta daí a tradição de enfeitar as casas, no trajeto da procissão.

Na Solenidade de Corpus Christi, há grandes procissões, na maioria das paróquias da Diocese.

Com a palavra os Teólogos Evangélicos!



video

Nenhum comentário: